capa_AlimVegetariana para Bebés e Crianças

por

O bebé descobre o Mundo através da boca. E descobrir novos alimentos é abrir portas a um Mundo novo, recheado de cores, sabores, texturas e cheiros.

É por volta do sexto mês de vida que o bebé estará preparado para receber novos alimentos, complementares ao leite materno. O seu corpo está, agora, mais maduro: os rins e o tubo digestivo começam a funcionar melhor, a criança controla os movimentos da cabeça, senta-se sozinha, pega na colher, etc etc.

Treinar o paladar do bebé é agora a nova batalha! A textura, o sabor, o cheiro, a temperatura (etc) são diferentes do leite da mãe ou da fórmula láctea que recebe. Tudo isto implicará um processo de aprendizagem e não se esqueça, como diz o ditado… ‘é de pequenino que torcemos o pepino’: é de pequeninos que começamos a treinar e estimular o apetite para certos alimentos. E, por causa da variabilidade do paladar associada ao leite materno (sortudos os que têm leitinho da mamã muito tempo!), os bebés amamentados ao peito aceitam muito mais facilmente sabores diferentes.

Mas…

Introduzir carne ou peixe na alimentação do bebé depende da opção alimentar da família. E se os pais não ingerirem estes alimentos e optarem por não os dar ao seu bebé, é fundamental aconselharem-se com alguém especializado, para uma alimentação equilibrada.

Hoje temos o privilégio de ter connosco a Gabriela Oliveira, mãe de três filhos e vegetariana de corpo e alma. É também autora do livro ‘Alimentação Vegetariana para Bebés e Crianças’, obra que nos guia nesse mundo ainda pouco conhecido do vegetarianismo para bebés e crianças (tem-se sempre a ideia de que é impossível sobreviver sem carne e peixe…), ou do alívio do consumo de carne e peixe nestas faixas etárias. Óptima escolha para pais vegetarianos e que têm dúvidas em relação à alimentação dos seus filhos, que precisam de novas ideias, para variar alimentos e para evitar caprichos alimentares nas crianças. A Gabriela dá-nos algumas receitas simples e práticas, indicando sempre a idade adequada para as oferecer aos bebés.

Umas das minhas preferidas é esta (apesar da minha filha ainda não ser grande adepta… mas não vou desistir Gabriela!):

Papa de Aveia, crua, com Framboesa e kiwi

Para o pequeno-almoço, lanche ou sobremesa. Rápido, simples e muito energética, combinando cereais e frutas. Já aqui falámos desta papa cremosa que não precisa de ser cozinhada. A receita: 1 chávena/xícara de flocos de aveia; 2 tâmaras secas; 1 banana; 1 maçã ou pera. Deixar a demolhar a aveia coberta com água pelo menos 2 horas (pode ficar a demolhar durante a noite). Escorrer a água e colocar no liquidificador, com a banana, a maçã e as tâmaras. Pode juntar um pouco de água se achar que fica muito consistente. Bater tudo e servir em taças com fruta aos pedacinhos e sementes de papoila, ou outras a gosto. A vantagem desta papa é que não precisa de ser cozida e fica muito macia e doce, mesmo não usando açúcar. É adequada para bebés (não antes dos 9 meses) e para qualquer idade.

Psicóloga Clínica (ISCS-N). Mestre em Aconselhamento Dinâmico (ISMT). Psicodramatista (SPPPG). Instrutora de Massagem Infantil (APMI-IAIM). Instrutora de Massagem nas Escolas (AME-MISP). Formação em Vinculação e Psicopatologia. Docente do Ensino Superior. Orientadora / co-orientadora de teses de licenciatura e orientadora de estágios em Psicologia. Formação em Língua Gestual Portuguesa - nível I.

Latest posts by Helena Eiro Ferreira (see all)