f1

por

Acredito que, à partida, seja estranho pensar que a alimentação e a linguagem oral estejam relacionadas.

Mas o que não podemos esquecer é que os músculos e ossos da face têm várias funções em comum: a sucção, a mastigação, a articulação e a expressão facial! Estas funções estão interligadas, implicando que o estímulo ou comprometimento de uma poderá causar alterações nas outras. A forma como o bebé é alimentado é fundamental pois permite estimular o seu crescimento facial (ossos e músculos) e preparar o bom desempenho das funções seguintes (mastigação e articulação/fala).

A amamentação natural inicial é feita através da sucção. Este movimento é um exercício muito eficaz para o crescimento dos ossos da face e fortalecimento dos músculos, necessários para um bom desenvolvimento da linguagem oral e das outras competências já faladas. Apesar de, para a mãe, poder ser difícil ver o bebé cansado e a interromper a alimentação para respirar, lembrem-se que é um esforço saudável e fundamental e que rapidamente o bebé se revela um mestre na sucção. (Resistam à tentação de, ao utilizar o biberão, aumentar o furo para sair mais fluxo de leite.)

Nas primeiras semanas, o bebé faz sucção com movimentos da língua para trás e para a frente e, gradualmente, começa a movimentá-la também para cima e para baixo, de forma mais independente dos movimentos dos lábios e da mandíbula. Já nesta fase, o bebé enfrenta o desafio de coordenar a deglutição, a respiração e os movimentos de sucção. Mais tarde, terá que o fazer com a mastigação, a deglutição, a respiração (nasal) e a fala. À medida que os meses passam e a amamentação se vai realizando, os movimentos da língua, das bochechas, dos lábios e da mandíbula vão-se tornando mais precisos, preparando-se para as exigências do controlo de alimentos mais consistentes e para a produção de sons mais complexos.

Quando ocorre a transição da amamentação para outro tipo de alimentos, dados com colher, começam a estimular-se outros movimentos das estruturas. Os lábios adquirem a capacidade de remover o alimento da colher, a língua gere o alimento dentro da boca e prepara-o para a deglutição, e a mandíbula inicia os movimentos rotatórios necessários à mastigação.

Portanto, à medida que se vai alimentando o bebé nas várias fases, estamos a prepará-lo para desempenhar funções de mastigação e de fala, já que os músculos usados são os mesmos. Por isto, podemos dizer que uma alimentação adequada pode prevenir ou atenuar alterações miofuncionais e permite um bom desenvolvimento da linguagem oral.

Este artigo foi escrito por:

Marta Veiga

Terapeuta da Fala (ESSUA).

Pós-graduada em Intervenção Motora Oral e Facial (EPAP). Especializada em Ciências da Fala e da Audição (UA). Formadora na Universidade Sénior de Águeda. Formada em Língua Gestual Portuguesa – nível I.

 

 

Psicóloga Clínica (ISCS-N). Mestre em Aconselhamento Dinâmico (ISMT). Psicodramatista (SPPPG). Instrutora de Massagem Infantil (APMI-IAIM). Instrutora de Massagem nas Escolas (AME-MISP). Formação em Vinculação e Psicopatologia. Docente do Ensino Superior. Orientadora / co-orientadora de teses de licenciatura e orientadora de estágios em Psicologia. Formação em Língua Gestual Portuguesa - nível I.

Latest posts by Helena Eiro Ferreira (see all)