1

por

O leite materno é muito importante. Sabemos disso. Mas amamentar não é fácil.

Os benefícios que a amamentação oferece, para a criança e para a mulher são muitos e amplamente estudados:

– para ambos, talvez o aspecto mais importante será o fortalecimento do vínculo emocional entre a mãe e o bebé.

– em relação ao bebé, sabe-se que contribui para o desenvolvimento do sistema nervoso, o aumento da imunidade; além de o leite materno ser considerado a nutrição completa para o recém-nascido.

– amamentar também ajuda a mãe a emagrecer, devido à recuperação do tamanho do útero, ajudando também na prevenção do cancro da mama.

Em função disso, diversas campanhas estimulam o aleitamento exclusivo. Em alguns países, algumas campanhas resultam mesmo em projectos de lei que ampliam a licença de maternidade, aumentando o período de amamentação das mães empregadas (sortudas!).

Mas… e quando não há leite suficiente para alimentar o bebé?

A solução poderá passar por procurar um Banco de Leite Humano.

É claro que esta atitude coloca algumas questões do ponto de vista psicológico (à mãe que procura): porque, se por um lado estamos a dar o único alimento vivo e fundamental ao crescimento dos pequenos lutadores, por outro lado o leite não é o da própria mãe.

E todos os livros e revistas especializadas falam dos benefícios do leite materno; e querer e não poder amamentar o seu bebé pode ser frustrante, pode ser sentido como uma enorme falha para com o seu bebé que acaba de vir ao Mundo. O problema gera ansiedade e frustração em muitas mães, que se sentem incapazes de viver a maternidade de forma plena e confiante, sentindo-se capazes de assumir e cumprir o seu papel de mãe de forma suficientemente boa…

Em relação aos Bancos de Leite Humano, em Portugal estamos ainda muito aquém do que acontece noutros países. Mas também por cá já temos um (só!) Banco de Leite Materno.

O primeiro banco de leite materno em Portugal surge na MAC em 2009 e continua actualmente em funcionamento (apesar da enorme quebra de stock).

Recolher, transportar e conservar leite materno é algo que custa ao estado 65 euros por cada litro. Tornou-se ouro líquido e, portanto, as restrições financeiras governamentais afectaram, obviamente, os bebés.

Em Portugal, o leite materno doado é prescrito (considerado, portanto, uma espécie de medicamento – apenas em casos específicos – pelo Serviço Nacional de Saúde), noutros países como EUA, Suécia, Dinamarca, entre outros, o leite materno é considerado um verdadeiro alimento e não usufrui de qualquer comparticipação do estado.

No Brasil, por exemplo, as iniciativas para doação de leite humano são mais que muitas e as figuras públicas associam-se à causa (alguns exemplos abaixo).

         

Nos EUA, Alicia Silverstone está actualmente também envolvida num projecto de doação de leite materno.

Na internet vários são os sites, blogs, livros e artigos que abordam o tema (por exemplo, o ‘Arte de Amamentar‘).

É claro que, sendo este processo tão complexo (Portugal só tem um Banco de Leite, o processo envolve um gasto financeiro elevado, envolve ainda poucas mães dadoras, estando o leite está disponível apenas para bebés com características muito particulares) o comércio na internet (por exemplo, no site only the breast) e em comunidades do Facebook se tem multiplicado.

Mas atenção: o facto de não conhecer a origem do leite, a forma como foi armazenado e transportado, pode torná-lo prejudicial para o bebé. No Reino Unido é prática comum as mães venderem o seu leite na internet e o Royal College of Paediatrics and Child Health veio recomendar cuidado com este tipo de negócio, uma vez que estas não são vendas seguras, isto é, poderão não existir quaisquer cuidados de saúde e higiene, aconselhando as mães a procurar bancos oficiais.

Resumindo: doe leite se tiver, quiser e puder.

Saiba como doar:

Prepare o frasco:

– Escolha um frasco de vidro com tampa plástica;
– Retire o rótulo e o papel sob a tampa e lave muito bem com água e sabão;
– Coloque numa panela o frasco e a tampa e cubra com água, deixando ferver por 15 minutos;
– Escorra a água da panela e coloque o frasco e a tampa a secar voltados para baixo (de preferência em cima de um pano limpo)
– Deixe escorrer a água do frasco e da tampa, não limpe;
– Você poderá usar quando estiver seco.

 

Prepare-se para retirar o leite:

O leite deve ser retirado depois do seu bebé mamar ou quando as mamas estiverem cheias. Ao retirar o leite, é importante seguir algumas recomendações:

– Escolha um lugar limpo, tranquilo e longe de animais;
– Prenda e cubra os cabelos com uma touca ou lenço;
– Lave as mãos e antebraços com água e sabão e seque.

 

O frasco com o leite retirado deve ser armazenado no congelador. O leite pode ficar armazenado congelado até 15 dias.

Não se esqueça:

Quanto mais doamos, mais temos (e isto não é válido apenas para o leite materno).

Doar leite é dar vida.

É diminuir a taxa de mortalidade.

É somar vida e esperança.

É dividir amor em estado líquido.

Nota: E se tiverem para ‘d(o)ar e vender’ experimentem fazer… gelado!

Psicóloga Clínica (ISCS-N). Mestre em Aconselhamento Dinâmico (ISMT). Psicodramatista (SPPPG). Instrutora de Massagem Infantil (APMI-IAIM). Instrutora de Massagem nas Escolas (AME-MISP). Formação em Vinculação e Psicopatologia. Docente do Ensino Superior. Orientadora / co-orientadora de teses de licenciatura e orientadora de estágios em Psicologia. Formação em Língua Gestual Portuguesa - nível I.

Latest posts by Helena Eiro Ferreira (see all)